Magi OneShots

24,7K 395 168 Writer: MeiNyx por MeiNyx
por MeiNyx Seguir Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Report Story
Enviar Enviar a um Amigo Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Report Story

Solicitação


Autores coxos Nota: Enquanto escrevia isso, recebi atualizações sem parar no meu telefone sobre o lançamento de um novo episódio de 'Magos: As Aventuras de Sinbad'. Oh A ironia

Meu rei ... Você gaguejou, tentando manter Sinbad imóvel enquanto ele se contorcia fora de seu alcance.



Só dói mais se você derramar isso em cima de mim - Sinbad refutou, ainda se afastando.

Eu preciso desinfetar suas feridas, Sin! Pare de ser tão ... - Você foi cortado às pressas quando Sinbad tirou a camisa, revelando uma infinidade de feridas e contusões na pele. Você ficou lá, observando silenciosamente as faixas ensanguentadas em seu corpo.


O que diabos poderia ter feito isso com você?

ele falou, seu tom com naturalidade, como se ele tivesse acabado de ler sua mente. 'Nós nos deparamos com todo um orgulho deles e estávamos claramente despreparados', continuou ele profundamente.


você questionou com reverência. - Isso deve ter sido intenso - você disse, passando os dedos levemente pelas cicatrizes dele.

Hum, foi mesmo - ele disse, olhando-o atentamente.


você perguntou, imaginando se ele estava se sentindo bem. Você coloca o washrag de volta na tigela antes de lhe dar toda a atenção.

Para sua surpresa, Sinbad estendeu a mão, segurando seu braço e puxando-o para o colo dele. Os lábios dele roçaram sua orelha, enviando um formigamento quente em sua espinha enquanto ele sussurrava: - Eu posso pensar em pelo menos uma centena de coisas que você poderia fazer que me faria sentir um número infinito de vezes melhor do que aquele remédio ali.

cortando citações depressão

Suas bochechas ficaram vermelhas ao pensar no que tudo poderia estar nessa lista que Sinbad havia mencionado.

Rei K Sinbad: 'Você começou com uma voz trêmula:' Nós realmente não deveríamos, não estamos aqui de qualquer maneira- '


Cortando seus pensamentos ao meio, os dentes de Sinbad morderam seu pescoço, deixando sua mente frenética em um ataque. Você ofegou levemente, sem saber se tentava detê-lo ou deixá-lo fazer o que quisesse.

As mãos dele procuraram na sua frente, encontrando as fitas que mantinham suas vestes fechadas. Ele as soltou e suas roupas escorregaram de seus ombros, descobrindo sua pele completamente. Você se sentiu tímido sob o olhar pesado dele, mas permaneceu em conformidade, permitindo que as mãos dele percorressem seu corpo de todas as formas. 'Sinbad', você ofegou o nome dele quando ele agarrou o tecido macio do seu peito, acariciando você gentilmente com as mãos ásperas. A essa altura, você podia sentir sua própria excitação aumentando, visto que estava cutucando sua coxa.

Ele torceu você, de modo que você estava montando em seus quadris, encarando-o e permitindo-lhe uma visão completa enquanto você se sentava em cima dele. Ele sorriu com a sua expressão confusa enquanto o puxava para baixo, pressionando seus lábios contra os seus em um beijo febril, cheio de desejo caloroso.

Suas mãos deslizaram pelos seus lados, explorando sua metade inferior até que uma ação desonesta levasse a outra e você se viu ofegando novamente quando Sinbad deslizou os dedos em seu núcleo aquecido. No começo, você tentou se contorcer, apertando as coxas contra ele e se afastando da dor leve. Sinbad, no entanto, o segurou no lugar com um braço forte serpenteado em volta da cintura. Você gritou com o desconforto dos dedos dele estarem dentro de você, mas logo seu corpo caiu para a frente e você se inclinou contra ele enquanto ele os girava, encontrando seu ponto mais agradável e atingindo-o repetidamente. Apesar de todos os seus esforços, você não conseguiu permanecer quieto, soltando pequenos gemidos abafados enquanto seu núcleo se apertava e seu interior criava uma pressão familiar. Você estava à beira do clímax quando Sinbad parou abruptamente, afastando completamente as mãos de você.

Você ficou imóvel, no colo dele, se perguntando por que ele havia parado; até você sentir algo muito maior que os dedos dele, pressionando contra sua entrada.

Rei Sin ... Ah! Você chiou quando a cabeça do membro dele mergulhou em você. Você já estava pingando êxtase, facilitando muito o esforço dele. Ele deslizou o resto de si em você até que seus quadris descansassem sobre os dele.

ele sussurrou, sua voz rouca e doce. O som do seu nome passando pelos lábios dele o excitou, e você ofegava a cada impulso enquanto Sinbad o levava no colo.

Você se inclinou em seu pescoço, respirando-o, sentindo-se completamente consumido por sua presença poderosa. Seus dedos apertaram seus ombros largos e suas mãos agarraram seus quadris, controlando a velocidade de cada impulso.

Não demorou muito para que você deslizasse um pouco para frente e atingisse o local mais uma vez. Seu núcleo apertou e seu interior estremeceu quando você tentou abafar seus gemidos roucos. Você tentou parar, mas Sinbad forçou o corpo da turnê a se mover, direcionando seus quadris com as mãos fortes.

ele disse de novo, sua voz melosa e doce e atormentando seu cérebro. Você gemeu, sentindo seu interior inchando ao redor dele enquanto ele se aprofundava em suas profundezas. Ele continuou chamando seu nome, cada vez mais doce que o anterior.

Finalmente, seus músculos se contraíram, suas costas se arquearam em direção a ele e ele a puxou para perto, pressionando seu corpo nu contra o dele. Seu interior palpitava suavemente enquanto você lutava para recuperar o fôlego. Quase simultaneamente, você sentiu o calor da semente dele ao longo de suas paredes internas.

Vocês dois ofegaram pesadamente, o som da sua respiração sendo a única coisa quebrando o pesado silêncio. Ele puxou a mão e colocou a mão na parte de trás da sua cabeça, passando os dedos pelos cabelos e você podia sentir o forte bater do coração dele enquanto a cabeça estava no ombro dele, logo acima do peito. Você passou os dedos pelas cicatrizes na pele dele, contando-as enquanto fazia isso.

Eles não eram leões, a propósito - ele murmurou em seu cabelo. Você se levantou, encontrando o olhar dele com seus próprios olhos curiosos. Sinbad lhe deu seu sorriso brilhante de sempre. - Eu briguei com Masrur e levei muito longe - ele explicou, tonto.

Suas sobrancelhas franziram quando a informação chegou. - Seu idiota - você murmurou, batendo no peito agredido antes de se aninhar ao seu lado novamente enquanto ele soltava uma risada calorosa.

Eu não sou o melhor em escrever limões, então espero que isso seja aceitável; -;